quarta-feira, 27 de julho de 2011

Relação de verdades, verdades em relação ou sobre relações.




A verdade do movimento e do activismo LGBT, que convém passar para a televisão, em que já só os néscios acreditam (ou aqueles com agendas - políticas, pessoais, etc. - interesseiras):


1 - As relações homossexuais têm (falo deste momento, não do futuro ou do que deveria ser ou seria justo que acontecesse) o mesmo valor (importância) social que as congéneres heterossexuais.


2 - Uma relação entre dois homens funciona de uma forma exactamente igual a uma relação entre um homem e uma mulher.


3 - As relações homossexuais têm o mesmo potencial de sucesso que as similares heterossexuais.



A verdade pragmática e sem merdas:


1 - As relações homossexuais são, ainda hoje, altamente desvalorizadas. Esta depreciação social continamina qualquer relacionamento entre dois homens. Nenhum gay pode dizer que o seu namoro ou casamento vale ou importa tanto (social e, no caso do casamento, juridicamente - não entremos nas parvoíces do interior, do amor e outras merdas, porque, feliz ou infelizmente, o estabelecimento de uma relação ultrapassa em muito simples existência destes sentimentos) como os semelhantes heterossexuais.


2 - Uma relação entre dois homens não pode, nunca, funcionar da mesma forma que uma relação entre um homem e uma mulher. Homens e mulheres são diferentes - e podem-me responder com um "todas as pessoas são diferentes" que eu mando-vos para o caralho, porque negar os constrangimentos sociais e biológicos é estúpido. Na orientação sexual/afectiva homossexual a pessoa e o objecto da sua "afeição" pertencem ao mesmo género. Isto gera, no mínimo, maior confusão.


3 - Por estas razões, neste momento da história deste país, as relações homossexuais têm menos potencial de sucesso que as heterossexuais.



pós-escrito: Esta reflexão minúscula deve ser situada face às condições próprias do nosso país neste momento e refere-se, exclusivamente, ao universo homossexual masculino.

2 comentários:

  1. Acho este artigo de mau gosto e extremamente preconceituoso!
    A verdade é que o amor predomina sempre numa relação, seja entre um homem e uma mulher, seja em dois homens. O senhor só fala disto porque está fora da "realidade homossexual" e não conhece o dia-a-dia de um homossexual, que é criticado severamente e sujeito aos mais terríveis estereótipos da sociedade.

    ResponderEliminar
  2. Caro Anónimo,

    É lógico que o "amor", o que quer que isso seja ou signifique, pode ser o elemento predominante numa relação. Nunca será, não obstante o único em presença. Assim, é para os outros elementos presentes e constituintes de um relacionamento que aponto e que são muito diferentes na "realidade homossexual" relativamente à sua congénere heterossexual.

    De resto, não comento a minha orientação sexual, por irrelevância reflexiva ;)

    ResponderEliminar