terça-feira, 1 de junho de 2010

Israel está sozinha.




Uma vergonha, é como classifico o bárbaro ataque israelita à frota de activistas que levavam ajuda humanitária a Gaza. Ajuda humanitária, não armamento, não rockets... A faixa de Gaza é um território independente que Israel insiste em manter sob o mais vil controlo, causando uma situação humanitária catastrófica naquele pequeno espaço. Pretende esmagar pela fome, pela falta de acesso a água potável, a medicamentos os sofredores habitantes do território (na maioria tão inocentes como qualquer habitual cidadão israelita). Teve, desta vez, um comportamento tão ou mais indamissível do que aquele que é habitual o Irão pôr em prática.

Com este acontecimento, todos aqueles que desejam a destruição total de Israel conseguiram uma importante vitória diplomática. O regime do ultra-conservador Netanyahu perdeu, aqui, qualquer tipo de legitimidade internacional. A razão, neste momento, pende completamente para o lado palestiniano. Precisando de todos os aliados que conseguir na região (e sobretudo da Turquia, que já condenou expressivamente o referido ataque) para resolver os imbróglios afegão, iraquiano e iraniano, aos EUA só resta uma coisa: deixar cair o aliado judaico. Israel está sozinha.


Notícias: Público I e II, i.

14 comentários:

  1. Era uma vez uma frota de activistas que levava ajuda humanitária a Gaza.

    Era uma frota tão humanitária, mas tão humanitária, que recusou atracar em Ashdod e enviar os bens via terrestre, depois de efectuada a verificação dos bens e sob a sua própria supervisão.

    E era tão pacífica tão pacífica, e transportava tão somente ajuda humanitária, que tinha facas, e machados, e barras de ferro, e bombas de fogo preparadas para receber os soldados israelitas.

    E era uma Faixa de Gaza tão pobre e tão limitada pelo estado nazi-sionista de Israel, que até o estado nazi-sionista do Egipto também tinha a sua fronteira comum fechada. E era tão limitada e bloqueada que até os mercados estavam cheios de comida, existiam piscinas olímpicas, restaurantes de luxo.

    http://lisboa-telaviv.blogspot.com/2010/05/somos-todos-gazeanos.html

    Era uma Faixa mesmo mesmo pobre e bloqueada. E um barco de activistas que só criam levar arroz e farinha aos Palestinianos (os machados e as bombas de fogo era para ajudar a cozinhar, ora essa!), e tinha de ser por mar, senão os malandros dos israelitas ficavam-lhes com a farinha e com as cadeira de rodas eléctricas que levavam. Eram tão inocentezinhos. Não queriam nada arranjar problemas nem fazer acções provocatórias. Só já estavam armados até aos dentes e preparados para lutar por precaução.

    http://www.haaretz.com/news/diplomacy-defense/video-israel-navy-troops-storming-gaza-flotilla-1.293380

    http://www.haaretz.com/news/diplomacy-defense/netanyahu-i-regret-gaza-flotilla-deaths-but-israeli-troops-had-right-to-self-defense-1.293187

    http://www.haaretz.com/news/diplomacy-defense/israel-navy-commandos-gaza-flotilla-activists-tried-to-lynch-us-1.293089

    ResponderEliminar
  2. Vejamos os "humanitários" "pacifistas" "desarmados" e "activistas pró-palestinianos" em acção:

    http://www.youtube.com/watch?v=P6jDIQr59Sk

    http://www.youtube.com/watch?v=Z2duPV9MQIc

    http://videos.publico.pt/Default.aspx?Id=0da3121d-b4e0-4cb2-adb4-058062d38148

    http://www.youtube.com/watch?v=7O5N1Gh3tjo&feature=related

    http://www.youtube.com/watch?v=0LulDJh4fWI

    http://www.youtube.com/watch?v=hrSy9WGWwh8

    ResponderEliminar
  3. Em primeiro lugar, esses vídeos não mostram coisa nenhuma. A qualidade das imagens é mais do que péssima e foram, todos, divulgados pela marinha israelita. Em segundo lugar, citar blogs pró-Israelitas não me parece muito imparcial nesta questão. Essa história das piscinas e restaurantes de luxo mais me parece uma enorme patetada. Aqui fica um outro artigo, da BBC, sobre a real situação na faixa de Gaza, criticada por ONG's tão relevantes e credíveis como a Human Rights Watch e a Amnistia internacional.

    http://news.bbc.co.uk/2/hi/middle_east/7280026.stm

    Que eu saiba, não houve nenhuma notícia da morte de soldados israelitas. Morreram, porém, 9 membros da flotilha humanitária.

    Israel mantém um bloqueio naval (e terrestre) sobre um território independente. É lógico que os activistas não quiseram desembarcar a ajuda em Israel. A acção levada a cabo era, e toda a gente percebeu, muito mais política que humanitária. Ainda assim, tinha toda a legitimidade, e Israel esteve muito, muito mal.

    E, na sequência do ataque Israelita, o Egipto já levantou o bloqueio.

    ResponderEliminar
  4. Em primeiro lugar, o vídeo da reportagem da BBC foi "shot by a turkish tv crew on board the ship", e vê-se claramente "activistas pacifistas" à bastonada num soldado israelita mal ele chega ao deck. Nos outros vídeos, divulgados pela marinha israelita, vê-se a mesma sequência filmada pelas câmaras israelitas. Só não vê quem não quer ver.

    Citar blogs pró-israelitas não é muito imparcial porquê? Não tem lá as fontes? Eu fui vê-las, e até te dou o link para o restaurante de luxo da Faixa de Gaza, endereço web *.ps e morada "Cairo Street, Rimal, Gaza, Palestine". Está aqui: http://www.rootsclub.ps/

    "Que eu saiba, não houve nenhuma notícia da morte de soldados israelitas. Morreram, porém, 9 membros da flotilha humanitária."
    E querias o quê? Que os soldados israelitas esperassem que os matassem para se defenderem? É que nem feridos com gravidade podem ficar, têm mesmo de morrer para poder haver mortos do outro lado. A legítima defesa em caso de perigo de vida deixa de existir se for da parte de soldados israelitas.

    "Israel mantém um bloqueio naval (e terrestre) sobre um território independente."

    Israel mantém um bloqueio naval e terrestre sobre um território sequestrado por uma organização terrorista chamada Hamas, que tomou o poder pela força depois de entrar em guerra civil e fuzilar os representantes legítimos eleitos pelos palestinianos, organização esta que diariamente lançava misseis sobre território israelita e que usava e usa o seu povo, as suas crianças, os seus inimigos políticos, escolas, mesquitas e hospitais como escudos humanos e armazéns de armas e bombas.

    "E, na sequência do ataque Israelita, o Egipto já levantou o bloqueio. "

    E na sequência do acontecimento, o Egipto teve abriu mão do seu bloqueio (ah, mas este afinal não tinha problema), para se juntar à gritaria, e para depois não poderem dizer "olha, mas afinal o Egipto também está a bloquear Gaza". Mas estava até ontem. Porque seria? Devem também ser nazi-sionistas...

    Então, diz lá, o bloqueio do Egipto é o quê? É porquê? O Egipto não é o demóno, não são assassinos e opressores também? Porque o fazem? Serão irracionais como os israelitas?

    E o Hamas pode dominar a Faixa de Gaza e oprimir e sacrificar o povo de Gaza à sua vontade? Deve Israel ficar quieto enquanto entram armas na Faixa de Gaza, com as quais o Hamas ataca as crianças israelitas, e as quais coloca nas escolas das suas próprias crianças?

    Não te faças de parvo, Manel.
    Sabes perfeitamente que os israelitas não são estúpios, não bloqueiam Gaza por prazer, nem ganham nada em entrar num barco com suposta ajuda humanitária para assassinar "activistas".

    ResponderEliminar
  5. "Aqui fica um outro artigo, da BBC, sobre a real situação na faixa de Gaza, criticada por ONG's tão relevantes e credíveis como a Human Rights Watch e a Amnistia internacional.

    http://news.bbc.co.uk/2/hi/middle_east/7280026.stm"

    Ahahah, deixa-me rir!

    Segundo essas organizações Gaza está em plena crise humanitária há anos. É incrível como se pode aguentar uma crise humanitária durante anos!

    E é o que se vê mais quando se vê imagens de Gaza: crianças e população em geral subnutrida, sem água, sem luz, sem higiene nem cuidados de saúde. Ui, então não se vê? Quando abrem o cruzamento de Rafah para o Egipto é só malta de Gaza a fugir! Ui! Aquilo é um verdadeiro êxodo! Só que prontos, é só para comprar coisas, e depois voltam para casa... Estão tão mal!

    Nem sequer têm centrais eléctricas israelitas a fornecer-lhes electricidade, nem sequer têm os hospitais de Gaza, nem os apoio da ONU, nem os apoio de Israel quando é preciso tratar de feridos mais específicos. Aquilo é uma pobreza e uma miséria, desde há anos! Só morte e desgraça! É tão mau que a esperança média de vida lá é superior à da Turquia, do Egipto, da Estónia, só para dar exemplo!

    É, de facto, "a full blown humanitarian crisis".

    ResponderEliminar
  6. Tentando que não nos afastemos do essencial. Tenho as maiores dúvidas de que o nível de vida na faiza de Gaza seja assim tão elevado. Toda a gente condena a orientação ideológica/política do Hamas, mas também toda a gente sabe que foram maquinações israelitas que os puseram no poder (dividir para reinar).

    O bloqueio à faixa de Gaza é ilegal segundo o direito internacional. A acção de Israel ao atacar aqueles navios foi uma violação claríssima do direito internacional. Israel está internacionalmente numa posição fraquíssima a nível internacional. Neste momento, e depois do recente ataque, conta com um único aliado incondicional: o poderosíssimo lobby ´judaico norte-americano. Contudo, Israle é um aliado que interessa cada vez menos aos Estados Unidos. Contribuiu para a radicalização dos regimes na região e é o principal responsável pela destruição de um dos mais prósperos países da região: o Líbano.

    A sua política ultra-belicista potencia o terrorismo. Os EUA não podem, com a situação que têm para resolver no Irão, Iraque, Afeganistão, Paquistão, continuar a suportar um país que dia sim, dia não, invade os seus vizinhos.

    E se Israel desse um passo no sentido da paz? Se calhar, não sei, libertar Jerusalém Oriental (de onde não são disparatos rockets!) ou deixar de construir colonatos na Cisjordânia...É só uma ideia...

    ResponderEliminar
  7. Eu não tenho, por princípio, absolutamente nada contra o estado de Israel. Criou-se ali uma situação complicadíssima, em relação à qual Israel não assume, certamente, a carga de culpa principal. Agora, importa é resolver o problema e as acções israelitas só complicam a situação.

    ResponderEliminar
  8. Manel, vê também as intenções dos caríssimos pacifistas: http://www.publico.pt/Mundo/tres-dos-mortos-no-raide-israelita-queriam-ser-martires_1440324

    "Toda a gente condena a orientação ideológica/política do Hamas, mas também toda a gente sabe que foram maquinações israelitas que os puseram no poder (dividir para reinar)."

    Não se trata de uma simples orientação ideológica e política, trata-se de não terem problemas em sacrificar os seus próprios civis e atacar os civis de outros estado, para atingirem os seus próprios propósitos! São terroristas!

    Essa das maquinações israelitas 'tá boa. Toda a gente sabe?? Não soa nada a teoria da conspiração... É do interesse de Israel ter a Fatah no poder, que é muito mais moderada e não tem por hábito comandar o lançamento de mísseis sobre território israelita.

    "E se Israel desse um passo no sentido da paz? Se calhar, não sei, libertar Jerusalém Oriental (de onde não são disparatos rockets!) ou deixar de construir colonatos na Cisjordânia...É só uma ideia..."

    Israel deu muitos passos para a paz. Israel devolveu o Sinai ao Egipto e fez a paz com o Egipto. Israel devolveu os territórios à Jordânia e fez a paz com a Jordânia. Em 2005 Israel expulsou e retirou todos os colonos judeus da Faixa de Gaza e entregou o controlo à Autoridade Palestiniana. E o que aconteceu depois? Não foi a paz. Decorreram eleições e o Hamas, não tendo sido eleito, tomou o poder pela força e através do fuzilamento dos seus adversários. Depois disso passaram a chover rockets diariamente sobre o sul de Israel. Agora queres o quê? Que Israel desocupe Jerusalém Oriental e a Cisjordânia? Onde está a demonstração dos palestinianos de que Israel pode ter confiança para fazer isso? A esquerda pacifista israelita já se tinha degradado com as intificadas, então depois da desocupação de Gaza desmoronou-se completamente. Não sei o que é que tu queres. Eu cá não quereria desocupar um território que não me chateava para depois passar a receber mísseis de lá todos os dias.
    A Faixa de Gaza só não manda rockets agora como mandava antes porque Israel lançou a ofensiva sobre Gaza em Janeiro de 2009 e desde aí mantém apertado o controlo sobre o que passa nas fronteiras de Gaza, e o Egipto também.

    ResponderEliminar
  9. Notícia do Times:"Turkish charity that sent aid convoy to Gaza ‘has links to terrorism’" http://www.timesonline.co.uk/tol/news/world/middle_east/article7142977.ece

    ResponderEliminar
  10. Manel, que tens a dizer sobre a declaração do Ministério dos Negócios Estrangeiros de Israel: http://www.mfa.gov.il/MFA/Government/Law/Legal+Issues+and+Rulings/Gaza_flotilla_maritime_blockade_Gaza-Legal_background_31-May-2010.htm

    ResponderEliminar
  11. Mais vídeos:

    - Israelitas a gozar com a ignorância dos que se deixam manipular por esta propaganda: http://www.youtube.com/watch?v=FOGG_osOoVg

    - Soldados a serem agredidos com barras de metal e esfaqueados: http://www.youtube.com/watch?v=S6Xm8Irz-so

    ResponderEliminar
  12. Então se está tudo muito bem, por que razão a totalidade (ou quase) da comunidade internacional condenou a acção israelita?

    Na tua opinião é tudo tonto? Ou terrorista..?
    = S

    ResponderEliminar
  13. Porque condenaram de forma precipitada. Repara que mal se sabia o que se tinha passado, só havia a notícia da intercepção da flotilha e do nº de mortos, e já estavam os políticos todos a manifestar-se e a emitir declarações. E quando só sabes o que vês nos media, ou que te dizem quem já tem odio anti-israelita, que foi "Israel atacou uma frota de navios com ajuda humanitária matou 19 activistas", claro que sai bacorada!

    E, infelizmente, este é um assunto lateral. Ninguém está com pachorra para se informar ou estar a par do conflito israelo-palestiniano. Basta haver um atentado ou um evento com maior nº de morte e condenasse, pede-se investigação e está feito.

    Os únicos que não fizeram isso foram os americanos. E podes ver entrevistas que o Biden deu à TV em que explica o que se passou e porque apoiam Israel nesta situação (nota que é a administração Obama, que habitualmente não facilitado a vida a Israel: http://www.youtube.com/watch?v=NjPYeJ3jWf0 ).

    De resto tens a Turquia a liderar a histeria dos Árabes. Os Turcos já não estão interessados em Israel, querem realinhar-se com o Irão e outros países árabes mais radicais, por isso estão à vontade e querem mesmo provocar conflitos com Israel e aproveitam também para cavalgar no anti-semitismo por motivos eleitorais. No Egipto sucede mesmo, ainda no fim-de-semana passaram uma lei que retira a cidadania a todos os homens casados com mulheres israelitas.

    Na minha opinião a grande maioria dos países árabes que se manifestaram são radicais e anti-israelitas, por isso quanto mais puderem falar contra Israel melhor, seja com base em verdade ou não (aliás, como se vê muita da esquerda, mal informada, fazer em Portugal, infelizmente, eu considero-me de esquerda, note-se). Os americanos esperaram mais um pouco para saber dos factos, os outros países (os ocidentais) condenaram logo ao início, mas não viste mais posições deles após a divulgação das imagens e dos vídeos, pelo menos eu não vi.

    A sociedade civil come o que os media lhe dão. Aqui na Europa dizem só que Israel atacou um flotilha de paz com ajuda humanitária e matou 19 activistas (quando na realidade foram só 9, e a Reuters já foi apanhada a editar imagens para removerem facas e sangue das imagens dos 'activistas': http://www.facebook.com/l.php?u=http%3A%2F%2Flittlegreenfootballs.com%2Flink%2F215282&h=a531a). E então toda a gente é contra Israel, e todos dizem que os israelitas são neo-nazis e que matam civis indiscriminadamente (mas se argumentares com eles não te sabem sustentar essa posição). Nos EUA tens media mais diversificados, e tradicionalmente mais pro-israelitas, e então tens 50% dos americanos a apoiar a acção de israel, e só praí 20% a condenar.

    ResponderEliminar
  14. Já agora, fica aqui uma série de links sobre suposta fiabilidade de instituições como a AI na análise deste conflito:

    http://www.huffingtonpost.com/alan-dershowitz/amnesty-internationals-bi_b_28257.html

    http://www.adl.org/PresRele/IslME_62/5561_62.htm

    http://www.ynet.co.il/english/articles/0,7340,L-3402530,00.html

    ResponderEliminar