segunda-feira, 10 de maio de 2010

A inspiração no regresso.






É com uma certa vergonha que me apercebo de um certo abandono a que votei este espaço na última semana, mas entre a viagem à Lituânia e o dia e meio de retenção nos aeroportos de Londres devido à malfadada nuvem de cinzas vindas do norte.




Espero, sinceramente, poder, nos dias que se seguem, poder relatar a minha experiência de participação nas comemorações do Orgulho Gay num país profundamente homófobo. Foi assustador reconhecer que, ao nível da interacção social, um país da União Europeia pode ser extremamente violento e perigoso para uma pessoa que não escolheu amar outra do mesmo sexo, ou sente que pertence a um género diferente do sexo biológico.




Estamos a falar de um estado-membro da UE, a organização promotora da democracia, defensora dos direitos humanos, que condena de forma extremamente dura a violação das liberdades de pensamento, expressão, organização e manifestação pacífica por toda a África e Médio Oriente (sobretudo), esquecendo-se que não é capaz de as garantir plenamente no seu interior.




Durante esta semana, para além das atoardas com que seguramente atacarei a vinda do Papa ao nosso país, reino do catolicismo do "faz-de-conta", tenho esperança de ter, igualmente, tempo para me debruçar um pouco sobre as diferenças de comportamento social dos lituanos (e dos povos do norte da Europa em geral), sobretudo no que tem que ver com o flirt homossexual.




Um beijo para o diminuto, mas para mim muito importante, punhado daqueles que me lêem regularmente.

Sem comentários:

Enviar um comentário