terça-feira, 27 de abril de 2010

Ruas no Público!






Um texto deste modesto blogue foi, no dia 24 de Abril, sábado, parcialmente transcrito pelo jornal Público. Duas razões fazem com que fique, particularmente, agradado com este acontecimento: o facto de o Público ser, claramente, o melhor diário nacional e ter sido referido um escrito meu que trata sobre a temática LGBT (que este blogue tem sempre procurado trabalhar).



Dá-lhe Ruas!!

7 comentários:

  1. Parabéns!

    (Só não concordo com o facto de o Público ser "o melhor diário nacional". Por 2 vezes enviei o meu protesto por publicarem as mentiras factuais da Pegado relativamente ao casamento entre pessoas do mesmo sexo. A primeira nem foi resolvida nem nenhuma decisão tomada, apesar de ficar a noção de que não era correcto publicar mentiras, embora houvesse a atenuante de ser um artigo de opinião. A segunda vez foi quando voltaram a publicar as mesmas citações da Pegado, desta vez já numa notícia do jornal, e depois da minha queixa. Que asco!!)

    ResponderEliminar
  2. Mas se eles citavam a Isilda, isso não quer dizer que seja o jornal que está a mentir, mas a prórpria criatura. Agora se citavam as atoardas daquela pobre tonta como verdades (científicas, digamos), aí já considero bastante grave.

    ResponderEliminar
  3. Primeiro eles publicaram uma crónica dela em que ela dizia várias mentiras, coisas como:

    «O caso da Califórnia é digno de ser contado. No mesmo dia da eleição do Presidente Obama, foi a referendo o "casamento entre pessoas do mesmo sexo" o qual já estava legalizado pela via judicial, há cerca de 4 anos.»

    e

    «Obama (que diz pretender legalizar o casamento homossexual em todos os Estados)»

    e eu disse que deviam publicar num espaço de igual destaque algo a corrigir/repôr a verdade, mas não fizeram nada (o máximo que fizeram foi discutirem entre eles até decidirem enviar o meu mail para a Pegado ao qual, obviamente, ela não respondeu).

    Mais tarde fizeram uma reportagem em que utilizavam citações destas novamente:

    "E defende que esta questão é referendável dando como exemplo "o que se passou na Califórnia": "No mesmo dia em que elegeram o Presidente Obama, que disse que ia legalizar o casamento homossexual, em referendo os californianos disseram que não." E conclui: "O direito comparado mostra que não há identidade de tratamento entre questões de civilização e políticas de governação." "

    E, dessa vez, nem responderam à minha reclamação.

    ResponderEliminar
  4. Pois...realmente revela um enorme desconhecimento da senhora sobre o processo legislativo estadual norte-americano. Mas penso que o Público citou isso como sendo sempre frases da pobre criatura e não como uma demonstração fáctica daquilo que aconteceu. Mas olha, felizmente ninguém lhe ligou nenhuma e o que é facto é que aquela manif que a senhora organizou foi do mais ridículo que se viu neste país!

    ResponderEliminar
  5. Não é desconhecimento, Manel, ela não é burra nenhuma. Ela simplesmente diz as coisas que quer, e ninguém se preocupa em verificar ou corrigir, querem é achas para a fogueira, querem vender! Seja com a verdade ou não!

    Isso da manifestação não tem nada a ver. Eles publicaram as mentiras delas no jornal pelo menos duas vezes, e milhares de pessoas leram aquilo e deixaram-se convencer...

    ResponderEliminar
  6. Olha eu quero acreditar que p único efeito que Isilda Pegado teve foi o de afastar alguns "crentes". Acredito que se aperceberam da idiotice reinante naquela cabeça. E assim, toda a exposição pública que teve pode até ter sido positiva, na medida em que nada alcançou.

    ResponderEliminar