terça-feira, 20 de abril de 2010

Que fizemos para merecer isto?




Que merda de sociedade é esta em que as pessoas se sentem no direito de chamar "paneleiro" ou "fufa" a uma outra em plena rua? O que se passa quando se admite que se atire um "que nojo" quando dois rapazes se beijam na rua? E que estamos, todos nós, a fazer na nossa apatia senão a contribuir para isto? É justo que a taxa de suicídio de adolescentes LGBT seja 3 (3!) vezes superior à daqueles heterossexuais? É aceitável? Merece conhecer violência aquele que não escolheu, não quis (e provavelmente continua a não querer) ser diferente?

Que mal tem, afinal, a diferença? Que importa, que importa se queremos estar com um homem, com uma mulher ou com os dois ou com três ou três dezenas? É assim tão errado querer ser feliz? E que igrejas são estas que deveriam pregar o amor, a paz, possibilitar a redenção e se preocupam em condenar certos tipos de amor porque é homossexual? E que Deus é, afinal, este que permite que a sua Igreja se corrompa desta maneira? Deus, para os homossexuais, morreu há muito tempo. não existe, nunca existiu, nunca protegeu. Os homossexuais estão sozinhos. Nem Deus, nem Estado, nem sociedade, nada...nada.

Como nos reduzimos a uma sub-humanidade e agredimos, violentamos, condenamos, abandonamos outro ser humano com base numa diferente forma de amar? É, afinal, a estupidez e não a inteligência que nos distingue dos outros seres? É o ódio? Como pode um pai rejeitar um filho porque é homossexual? Rejeitar o próprio filho! Como pode não proteger contra tudo, contra todos?

Por que é que não nos revotamos, destruímos, arrasamos tudo isto? E a preocupação com uma pretensa segurança pessoal, com um emprego de merda, com uma família de merda? Não percebemos que esta merda é toda encenada? Vivemos numa filha da puta de uma prisão e não queremos perceber isto. E vale para todos, homossexuais, heterossexuais, transexuais, bissexuais, todos nós contribuímos para esta merda. Todos, e ninguém diz basta.

Como é possível que nos dê prazer e não vontade de vomitar (tal o nojo que deveria representar) o acto de maltratar outro ser humano. Um igual. Como nos compadecemos quando vemos um cão abandonado e continuamos a viver alegremente quando alguém se mata, porque não aguenta mais, porque é gay. Os homossexuais são piores do que cães, valem menos.

Aung San Suu Kyi disse que "a única verdadeira prisão é o medo". Nesta merda desta sociedade, todos vivemos na puta desta prisão e somos, ao mesmo tempo, capatazes e escravos, prisioneiros e carcereiros, agressores e vítimas...

3 comentários:

  1. Manel, aconteceu-te alguma coisa? =/

    ResponderEliminar
  2. R.,

    Tou, simplesmente, farto de que se considere que é correcto e aceitável maltratar outro ser humano. Seja por que razão for...e depois por se ser homossexual, que é uma coisa que já causa tantos transtornos (por si só) a uma criança/jovem. Está tudo profundamente errado.

    ResponderEliminar
  3. 'Cum' caralho!

    Este texto tem mais palavrões por frase que o país calçadas em mau estado!

    ResponderEliminar