sábado, 17 de abril de 2010

Entrevista I: "A força daqueles que lutaram por uma causa e conseguiram"




1- O que representa, para ti, o 25 de Abril de 1974?

Liberdade, porque para mim foi o fim do sofrimento de muitas pessoas neste país. Foi uma viragem muito importante na história do nosso país


2 - Qual é, para ti, a principal herança do 25 de Abril de 1974?

A força daqueles que lutaram por uma causa e conseguiram. Acabamos por bater na mesma tecla, mas será mesmo a liberdade trazida ao povo português oprimido durante tanto tempo.


3 - Globalmente, a teu ver, o 25 de Abril tem um significado positivo ou negativo?

Super positivo


4- Qual foi, para ti, a figura mais importante na construção da democracia portuguesa?

Ramalho Eanes, e o próprio Mário Soares lutou por uma política democrata.


5- Que pensas da forma como foi realizada a descolonização?

De uma forma péssima. Muitos familiares meus sofreram as consequências dessa descolonização porque a minha família foi obrigada a sair de um país que era deles.Eles são africanos de raiz, não são descendentes de portugueses. Tiveram de fugir porque se tornou completamente impossível viver num país que eles amavam, onde tinham uma vida excelente, onde eram felizes.
As condições com que vieram para Portugal foram horríveis, aviões super lotados com crianças no chão. Imagina o que é teres de deixar uma casa, todos os teus bens, até mesmo familiares, porque o teu país está em guerra. Reconstruir uma vida numa cidade que não conheces (neste caso Lisboa), que, mesmo sendo o teu país, estava a milhares de km de distância, noutro continente
Não houve escolha de direitos para as pessoas que ali viviam e tinham as suas vidas, ou saíam dali imediatamente ou morriam. Não havia mais hipóteses, é horrível imaginar esta situação, mas foi o drama de milhares de portugueses que passaram por tudo isso


6- Portugal é, hoje, uma democracia?

Não. Quando temos supostamente, e digo supostamente porque de nada se tem a certeza, um primeiro-ministro que controla toda a comunicação social, não pode ser uma democracia. E quando nem toda a gente tem direitos neste país também não pode ser democracia. Não defendo que toda a liberdade seja permitida porque senão era o descambar total deste país, mas há muitas mentalidades que têm de ser mudadas. Ainda há muita gente que sente falta do Salazar...


Vanessa, Produtora, 22 anos

Sem comentários:

Enviar um comentário