quinta-feira, 11 de março de 2010

A olhar os outros.



No outro dia, quando me queixava das minhas indecisões académicas/profissionais e do percurso extremamente orientado que os meus amigos e conhecidos já iam prosseguindo, perguntaram-me: se te estivesses a ver de fora, o que dirias da tua formação académica e das perspectivas profissionais que ela poderá proporcionar?

Diria que estava tudo a correr muito bem, e que as perspectivas são bastante optimistas.

Vista de fora, a realidade alheia parece sempre melhor, não é?

2 comentários:

  1. Pensa bem: mtas vezes, nos queixamos, digamos de barriga cheia, pois temos tudo de certa forma, digamos assim, e não vemos o que esta a nossa frente; tipo, as vezes temos uma vida boa, podemos estudar, divertir, e fazer tudo que desejamos e etc...
    E por outro lado mtos de nos nem si quer tem onde morar, onde se alimentar, as vezes de modo que se queixam que nem tem umna vida digna... " Ditos Pobres" e são feliz.
    Por isso pense,pois tudo pode dar certo e so acreditar....

    ResponderEliminar
  2. Rodirley,

    Na maior parte dos casos, ter tudo não significa que se chegue à felicidade. Habitualmente, até, nas filosofias e religiões orientais (budismo, confucionismo, etc) e mesmo nas ocidentais (filosofia socrática, cristianismo) o despojamento dos bens materiais e das melhores condições de vida é condição necessária para que se atinja a felicidade (eterna, verdadeira, real, etc.).

    ResponderEliminar