quinta-feira, 18 de março de 2010

Deus não pertence à "brigada dos costumes".



O padre espanhol que foi apanhado pelas autoridades policiais na posse de mais de 400 horas de vídeos de pedofilía, afirmou que veio construindo esta colecção porque sofria de "solidão e carências afectivas". Como todos os padres, não é senhor Arregui? Agora, a maioria dos nossos mentores religiosos não se põe a violar menores. Cumpre que se econtre, em terra próxima, uma qualquer senhora respeitável para fazer alguma companhia ao senhor padre. Sr Arrequi leia o "Crime do Padre Amaro"!

Depois, não percebo essa solidão, porque, supostamente, tomar conta do "rebanho" de fiéis devia constituir companhia suficiente para os sacerdotes que, para além disto, têm uma ligação especial com Deus (que estará, com certeza, sempre pronto para os ouvir).

A Igreja portuguesa vai, em Abril, discutir a questão da existência de abusos sexuais a menores no nosso piedoso território. Todavia, a discussão irá centrar-se no utópico e quimérico, na medida em que um representante da Conferência Episcopal Portuguesa já veio garantir que tais coisas não acontecem no nosso país.

Um desabafo sacrílego e blasfemo para finalizar: alguém acredita, verdadeiramente, que Deus se encontra preocupado com o facto de os seus "servidores" estarem na cama com um homem ou mulher adultos? Pois..também me parece que não.

Sem comentários:

Enviar um comentário