segunda-feira, 8 de março de 2010

Afinal, a culpa foi do Leandro.




Como sempre acontece nos casos que envolvem a responsabilidade de muitas pessoas, convém varreira a porcaria toda para debaixo de um qualquer tapete (já levantado dois centímetros em relação ao chão, tal o nível de sujeira cumulada). Assim, opta-se, quase sempre, por denegrir a vítima, porque assim a responsabilidade principal passa a ser desta última e aqueles que tinham a função de a proteger nãon actuaram com o zelo devido, mas também, não fizeram nada de mal, já que a culpa do lesado se sobrepõe.

No caso de Leandro, já vêm as autoridades que investigam o caso dizer que era uma criança "reguila e, por vezes, mal educada para com os professores", que provocava "zaragatas" e que "nas situações de agressões, resistia e não demonstrava medo". Ou seja, Leandro, apesar do sofrimento de que padeceu naquela escola, comportava-se, nom fim de contas, como um jovem absolutamente normal. Se conseguirem encontrar uma criança que nunca tenha entrado numa disputa, sido mal educada para com os professores ou reguila, por vezes, então eu aconselho-vos, sinceramente, a procurarem um internamento psiquiátrico para a mesma, porque os problemas psicológicos devem ser avultadíssimos.

Mas, para escamotear uma realidade ultra-desconfortável para a comunidade educativa e familiar que rodeava Leandro tudo parece valer. Até dizer que porque o jovem tirou as roupas antes de se atirar ao rio, afinal não se tratou de suicídio, mas sim de "acidente". Como se não acontecesse em milhões dde mortes auto-inflingidas por todo o mundo, as pessoas taparem a cama com plásticos, para não a sujarem com o tiro com que pretendem consumar o acto. Mas deve tratar-se, igualmente, de acidentes. A pessoa estaria, certamente, a exprimentar a arma.

Isto que agora vem a público, para tentar, com certeza, atenuar a culpa daqueles que falharam na defesa de Leandro (a começar pelos seus professores) lembra-me aquela célebre sentença portuguesa em que um violador viu a sua pena atenuada porque a rapariga apareceu de mini-saia em plena "coutada do macho latino", provocando os instintos animalescos do mesmo.

Enfim, quando algo incomoda o melhor é esconder. É que não é propriamente muito positivo, nem isento de riscos, começar por aí a diagnosticar incompetências nas famílias, nas escolas e nas autoridades públicas. Enfim, a culpa foi mesmo de Leandro e, então, olhem...arquive-se.

Sem comentários:

Enviar um comentário