domingo, 21 de fevereiro de 2010

Somente idiotas.




Na "festa da família", a música mais tocada foi "We are family", um conhecido hit de tudo o que são protestos gay. Por entre Virgens verde fluorescente, orações de pais-nossos (como se Cristo se tivesse alguma vez pronunciado pela não aceitação dos homossexuais) e bíblias brandidas em jeito de exorcismo, descubro que, longe de serem gente odiosa com uma visão discriminatória da realidade, são apenas muito idiotas. Fiquemos todos mais descansados e assistamos ao vídeo que nos relata as tropelias desta "gente".

17 comentários:

  1. Se a parvoíce e maldicência pagasse imposto, tu eras sem duvida, um dos grandes contribuintes!
    Não há paciência para parvoíces, com ares intelectuais e snobs.

    ResponderEliminar
  2. Já percebi que tens pretensões de ser intelectual...só fiquei com duvidas sobre a tua orientação sexual.
    Ó Manel, és tão querido no teu discurso...na verdade tens razão...são uns idiotas!!!Que horror!!!

    ResponderEliminar
  3. Por acaso devo dizer que tem um erro exposto no seu texto. Jesus/Deus proibe plenamente o relacionamento entre pessoas do mesmo sexo.

    Levíticos 18:22 "Com homem não te deitarás, como se fosse mulher, é abominação!"

    Este é apenas um dos muitos versículos existentes ;)

    ResponderEliminar
  4. Ó anónimo, em primeiro lugar, não sei a que propósito vem a minha orientação sexual. Considero que a defesa da liberdade e da igualdade nos deve preocupar a todos, independentemente das preferências amorosas.

    Dito isto, a eventual maledicência (faltou-lhe o e) e parvoíce do post decorrem directamente da idiotice, parece-me, que foi utilizarem uma música que passa uma mensagem completamente contrária àquela que se pretendia transmitir e que é amplamente utilizada pelo grupo que se pretende atacar.

    Seria mais ou menos como, numa questão de defesa, imaginemos, o primeiro-ministro de Israel citar a Mein Kampf, percebe?

    ResponderEliminar
  5. Esse versículo que cita pertence ao Velho Testamento. Assim sendo, como bem saberá, não é uma afirmação de Cristo, que como bem saberá, também, pôs em causa muitas das que constavam dos textos antigos (o Deus castigador e etc.).

    ResponderEliminar
  6. Manel, apensar de ser do Velho Testamento e por mostrar mínimo conhecimento da Bíblia, saberá proventura que Jesus ao "vir" ao mundo veio em nome de Deus, e tudo o que Jesus disse foi por Deus, ou seja, Jesus quando falava, falava em nome do Pai. Então no Novo Testamento quando Jesus fala pode-mos dizer que é Deus a falar...

    "No princípio, era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus...E o Verbo se fez carne e habitou entre nós" I João 1:1,2 e 14

    ResponderEliminar
  7. O que eu sei é que a mensagem de Jesus é uma mensagem de Amor e Aceitação. Cristo, durante o tempo em que esteve na terra, não ostracizou nenhuma classe e viveu entre os mais sofredores de preconceito. Se ele viesse, hoje, à terra aproximar-se-ia, certamente, dos homossexuais. Para Cristo, desde que não se prejudicasse o próximo, a pessoa poderia ser livre. O que eu sei é que Deus está preocupado com a bondade humana, não anda, certamente, a ver com quem é que cada um se "mete na cama". E considero que é extremamente pretensioso, e até herético, fazer essa interpretação das preocupações divinas.

    ResponderEliminar
  8. Realmente tem razão, mas Jesus sempre disse para se obedecer às palavras de Deus, Jesus mesmo tendo andado por entre os mais sofredores de preconceito nunca foi como eles, sempre se mostrou diferente, pois devemos amar o pecador. E mesmo assim apesar de Jesus ter sido preso, de ter tado com prostitutas, de ter defendido aqueles que mais nínguem defendeu... Ele é o exemplo pelo quando eu luto, Ele é o exemplo que me fez levantar da cama ontem e dizer "esta errado, temos de lutar, porque Deus disse Honrra teu pai e tua mãe, Deus disse que o Homem não devia de estar sozinho e por isso a partir dele fez a mulher e disse para procriarem e reinarem sobre a terra, os mares e os animais..."

    ResponderEliminar
  9. Manel (a 1ª vez que visito este blogue) parabéns pelo texto e pela argumentação. Já vi que há alguém aqui com pretensões de ser Jesus, talvez devesse começar no respeito pela diferença. É fácil pegar nas antigas escrituras, descontextualiza-las e dar-lhes a interpretação que se pretende, mas aqui fica um ensinamento de Jesus que penso intemporal e adequado para qualquer cultura, situação, credo, etc: "ama o próximo como a ti mesmo."

    ResponderEliminar
  10. Nunca pretendi ser Jesus, simplesmente tou a ter uma "conversa civilizada" com alguém e se isso icomoda aqueles que gostam de críticar sem pensar não tenho culpa...

    Manel, se o ofendi, nunca foi essa a minha intenção, o que aqui escrevi foi apenas a minha openião pessoal, tal como você fez.

    Penso que usar a mente não é crime, se a soubermos usar, vivemos numa democracia, então qual é o mal de pensar?

    Realmente dizem e é bem verdade, nunca um país foi tão apresionado como agora que vive numa democracia, porque pior que a prisão fisíca só mesmo a prisão psicológica.

    ResponderEliminar
  11. É com grande tristeza que vejo que o nosso país não evoluiu nada em tantos anos. Eu também penso que essas pessoas da "festa da família" são perfeitos idiotas. E não sou homem nem sou homossexual. É impressionante a rapidez com que os senhores que fizeram os comentários anteriores tiram conclusões sobre as orientações sexuais alheias. Se se apoia alguém a lutar pelos seus direitos, é-se condenado de imediato. O que é que vos preocupa tanto afinal? Porque é que nós podemos ter direitos e os outros não? Têm medo de quê? Eles não são seres humanos como nós? É que não há paciência para tanto atraso cultural e de mentalidade. Não vejo ninguém a fazer manifestações públicas como esta para defender as crianças ou as mulheres que são vítimas de maus-tratos. Nem vejo respostas tão agressivas quando se fala destes temas. Porque será?

    ResponderEliminar
  12. Anónimo nº. 1: não me ofendeu minimamente. Sou um defensor máximo da discussão, do contraditório e da liberdade de expressão, razão pela qual não censuro nenhum tipo de comentário.

    Essa questão de que Deus criou a mulher para completar o homem tem de ser vista como uma metáfora e ultrapassada. A não ser assim, a mulher terá sempre um estatuto inferior ao do homem, porque o homem é que foi criado em primeiro lugar e a mulher só o foi para acompanhar a criação perfeita e principal: o masculino.

    Esta visão é extremamente injusta para a mulher e tem sido a base da discriminação secular das mulheres. Pena que as mulheres que participaram neste protesto não o compreendam...

    ResponderEliminar
  13. Cisosinho, obrigado pelo elogio.

    Eu, como católico, é nessa expressão que revejo toda a minha fé em Deus e em Cristo. Tenho pena que a maior parte dos católicos pregue o ódio e se esqueça dos ensinamentos primordiais.

    Anónimo nº.2: o problema é que a legalização do casamento gay ataca a principal base da nossa estrutura social no que concerne aos relacionamentos amorosos: a superioridade do masculino.

    ResponderEliminar
  14. Eu nunca disse que era contra ou a favor, simplesmente disse o que esta escrito nas Sagradas Escrituras e disse a minha openião relativamente e baseando-me nas escrituras.

    Não sou a favor, mas respeito 100% quem é a favor e até quem o é.

    Sempre me ensinaram que todas as pessoas são dignas de respeito e amor.

    Mas também sempre me ensinaram que para respeitar o proximo temos que o conhecer, e pessoalmente, penso que os homossexuais não se têm dado muito a conhecer pois vivem apresionados dentro deles mesmos com o medo de serem julgados.

    Sou crente evangélica, sou praticante e com orgulho. Nunca tratei mal ninguém por ser diferente de mim, até defendo que deve haver uma mistura de pessoas dentro de um lugar como a Igreja, pois ninguém é igual e todos devemos ter respeito pela diferença.

    Conheço imensos homossexuais e pessoalmente posso dizer que os que conheço são maioritariamente mais humildes e solodários que todas as outras pessoas. Todos eles sabem a minha openião, respeito-os mas não acho justo poderem casar, pois isso iria alterar todo o conceito de família que nos foi imposto no dia em que nascemos...

    ResponderEliminar
  15. as últimas palavras desta anónima dizem tudo: "que nos foi imposto"

    mas quem determinou que seria assim? foi imposto porquê, por quem? eu não fui ouvido, se me querem impor o que quer que seja, então eu devo ser consultado. ou não?
    como foi imposto? e quando?
    eu considero-me um livre pensante, e engolir tudo "porque sim", ou "porque não", não me parece sensato.
    questionem e questionem-se porra!

    o medo e a culpa, ferramentas do catolicismo, ainda fazem escola e muitos estragos na cabeça de muita gente.

    ResponderEliminar
  16. João, concordo em absoluto. Para além disso, o conceito de família imposto, em Portugal, há 50 anos impunha que as mulheres fosssem submissas à autoridade masculina (autorizações para tudo e mais alguma coisa, dependência financeira, última decisão na educação dos filhos). Hoje, por razões óbvias, ninguém aceita este tipo de modelo familiar. A resistência à mudança foi sempre uma constante nas sociedades humanas, exactamente por causa do medo.

    Por outro lado, ainda não consegui perceber de que conceito de família falam os defensores do "modelo de família tal como ele está". Referem-se às famílias tradicionais ou às heterossexuais em geral (incluindo monoparentais e separadas)? Acho que nem eles próprios sabem...

    ResponderEliminar
  17. Defensores da família? Até parece que alguém lhes está a atacar a família!

    Não continua a mulher em casa a tratar da prole, o marido a trabalhar, os filhos, às dúzias de cada vez, a irem à missa todas as semanas e a rezarem o terço antes das refeições?

    Ninguém os chateia, eles é que querem chatear os outros! Os verdadeiros defensores da família são os gays e as lésbicas (já para não falar das famílias monoparentais), que têm de defender as suas famílias dos ataques constantes destes racistas das famílias!

    ResponderEliminar