segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

Os "amigalhaços" sauditas



Perante notícias como a de que a Al-Qaeda estaria a preparar uma ataque terrorista contra embaixadas estrangeiras no Iémen, não compreendo como podem os EUA continuar a confiar e a dar todo o apoio político ao reino saudita.

Será que ainda não se aperceberam que os actuais ninhos de terroristas (como a Somália e o Iémen) são países fronteiriços da Arábia-Saudita. Sabe-se, perfeitamente, que a casa de Al Saud jogou sempre em dois tabuleiros: a amizade com os EUA e o apoio, mesmo financeiro e, quem sabe, bélico, a grupos terrosistas.

Mas, enfim, os interesses energéticos jogam sempre mais alto, e enquanto a brutal ditadura saudita for o principal exportador mundial de petróleo e possuir as maiores reservas do mineral, será sempre um país a manter debaixo da asa amiga da América, ignorando as violações de direitos humanos e a contribuição para a instabilidade da região.

Sem comentários:

Enviar um comentário