domingo, 17 de janeiro de 2010

Louçã e Alegre "entalam" Sócrates



Na sequência da assunção da candidatura por parte de Manuel Alegre, Francisco Assis já se veio pronunciar dizendo que "regista a disponibilidade" do candidato, mas que é cedo para o PS se pronunciar sobre as presidenciais de 2011. Contudo, do cedo se fez tarde e Vitalino Canas (numa declaração "pessoal", que tem tudo de oficioso dada a proximidade que tem com Sócrates) já veio dizer que a candidatura de Alegre irá dividir o partido e que nomes como Ferro Rodrigues ou António Guterres seriam muito mais consensuais e poderiam recolher votos ao centro e à esquerda (notícia aqui).

aqui defendemos que a Sócrates nada interessa ter um candidato forte que possa conquistar a Presidência da República para a esquerda. Para o líder socialista Cavaco é, de facto, o melhor candidato. Todavia Sócrates ´não terá outra hipótese, penso, que não seja apoiar Alegre.

De Ferro Rodrigues já ninguém se lembra e António Guterres permanece na memória colectiva (apesar da amnésia que nestas questões marca o perfil do nosso povo. Basta pensarmos na eleição de Cavaco) como aquele que fez o país transitar de um período de crescimento para um de vacas magras. Assim, se José Sócrates não quiser que o seu candidato fique atrás do do BE (Louçã já veio dizer que apoiará a candidatura de Alegre: aqui e aqui), terá, realmente, de apoiar o candidato-poeta.

Sem comentários:

Enviar um comentário