quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Sem adopção: casamento de "segunda".



Será, amanhã, aprovada em Conselho de Ministros a proposta de lei para permitir o casamento entre pessoas do mesmo sexo. O Governo vai optar por deixar de for a adopção, criando, a meu ver, um casamento de segunda categoria para gays e lésbicas.

Penso que esta exclusão emite um sinal claro para a sociedade: as uniões entre gays e lésbicas não são suficientemente sérias, profundas para permitirem o alargamento da família através da adopção. Está-se a dizer, claramente, que gays e lésbicas não podem ser bons pais. Contra todos os estudos feitos até ao dia se hoje, está-se a transmitir a mensagem de que casais homossexuais serão incapazes de proporcionar um crescimento saudável a uma criança.

Assim, muito me surpreende ver o contentamento com que notícias como esta têm sido recebidas em tudo quantó são associações de defesa dos direitos LGBT. Acho que por medo se teve medo de discutir, desde já, a questão da adopção em conjunto com a do casamento. Há novas quesstões "fracturantes" (eutanásia, legalização da prostituição) que terão de ser discutidas no nosso país e não haverá espaço para a questão da adopção por casais homossexuais. Oxalá me engane.

O argumento para impedir a adopção por homossexuais têm ando, quase sempre, à roda do mesmo: o interesse da criança e a discriminação que irá sofrer por ter dois pais ou duas mães (v. aqui).

Pode alguém, com honestidade, defender que uma criança está melhor numa qualquer instituiçao do que numa família "homossexual" que a ame? Quanto á discriminação, comecem então a proibir os pais que têm tendência genética para a obesidade de "procriar". Como bem se sabe, o sofrimento das crianças gordas na escola é gigantesco....


(v. notícia também aqui)

2 comentários:

  1. Mais vale um pássaro na mão que dois a voar! Se se apresentasse já a proposta com a adopção nem o PS seria a favor e portanto ficava-se sem casamento sequer. Isto parece-me óbvio..

    ResponderEliminar
  2. O pior é se, por precitação e medo, o outro pássaro fica a voar, livremente, para sempre....

    ResponderEliminar