sábado, 26 de dezembro de 2009

No Médio Oriente, algo de novo?



Israel volta a matar palestinianos nos território ocupado da Cisjordânia e na faixa de Gaza. Os dois lados (as "duas Palestinas" e Israel) reclamam, como sempre, ser as suas acções completamente justificadas.

Para quem considera que todos os meios justificam os fins, a invasão por parte do estado israelita da faixa de Gaza, no ano passado, está amplamente justificada. Segundo a notícia do Público, a redução dos ataques por rockets lançados a partir de Gaza sofreu uma redução drástica.

O que eu pergunto é, sem querer, obviamente, colocar a causa dos problemas apenas em Israel (como bem se sabe a situação é bem mais complicada do que isso), de que modo justifica Israel que é, até ver, uma democracia, a brutalidade com que sempre tem vindo a responder às "ameaças" palestinianas. Sabemos que o Hamas ataca violentamente o estado judaico, mas, Israel, enquanto estado democrático, não deveria escolher vias menos violentas de resolver o problema?

Do outro lado do Médio Oriente, o inimigo visceral de Israel, o estado teocrático iraniano, está, como vimos afirmando neste blog, a entrar em colapso. Qualquer justificação é boa para se levantarem amplas manifestações contra uma das mais brutais autocracias mundiais. A repressão não conseguirá manietar a liberdade para sempre.

Sem comentários:

Enviar um comentário