quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Natureza vs Cultura (ou: E para aqueles que (ainda) acreditam no casamento....)



A psicóloga francesa Maryse Vaillant afirmou, na sua obra "Les hommes, l’amour, la fidélité", que a "infidelidade masculina ajuda a salvar o casamento". A infidelidade faz parte do espaço masculino e deve ser entendida como natural, sendo que os homens que não a praticam podem ter uma "fraqueza de carácter". Diz a autora que estes homens "não têm flexibilidade e são prisioneiros de uma imagem idealizada das funções do homem”.

Contudo, para mim, a mensagem mais importante do livro é a de que a fidelidade deve ser encarada não enquanto emanação da natureza (por natureza, todos os primatas são polígamos), mas como criação cultural. É certo que em muitas coisas (protecção dos deficientes, etc.) o homem ultrapassou os constrangimentos naturais no que diz respeito às relações.

E neste ponto? Já "vencemos" a natureza? Mais uma pergunta: será que tem sentido "vencer"? Afinal amor e fidelidade estão ligados em que ponto?

1 comentário: