domingo, 27 de dezembro de 2009

Não há por aí mais nenhuma Susanna Maiolo?



Papa apelou, hoje, à família formada por um casamento entre um homem e uma mulher, atacando, novamente, todos os gays e lésbicas (muitos deles católicos praticantes) que desejam constituir família através do instituto do casamento.

Para justificar estas afirmações que vêm, lembremo-nos, no seguimento dos apelos do Sumo Pontífice contra a discriminação e pela tolerãncia, vem o Santo Padre dizer-nos que Jesus nasceu no seio de uma família formada por um homem e uma mulher.

Por acaso, sempre pensei que para Jesus, enquanto filho de Deus (não tendo qualquer laço sanguíneo com José, seu pai "adoptivo") e que considerava toda a humanidade por igual, tendo morrido na cruz, sacrificando-se por todos nós, a sua família terrena não tinha mais importância do que qualquer uma das outras pessoas pelas quais o Messias desceu à terra.

Mas com Susanna Maiolo já internada, devo ser eu o único que vejo a contradição das afirmações de Bento XVI. Infelizmente, não tenho voz suficiente para as derrubar, com o mesmo mediatismo do acto de Susanna.

(notícia também aqui, com uma fotografia muito mais bonita do Santo Padre).

2 comentários:

  1. Contradições dentro da religião católica (e de quase todas as outras religiões, creio) são recorrentes.

    No entanto parece que ninguém lhes liga, e continuam a beijar os pés de verdadeiros déspotas como esse senhor a quem chamam de papa.

    ResponderEliminar
  2. Olá Draconus,

    O que vale é que, felizmente, estão cá pessoas como nós para denunciar a hipocrisia reinante nalguns sectores da Igreja.

    ResponderEliminar