quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

A "não-doença" que causa doenças.



36 anos depois de a Associação Americana de Psiquiatria (com certeza muito menos conhecedora destes assuntos do que a Ordem dos Médicos portuguesa) ter deixado de considerar a homossexualidade como uma doença, o Colégio da Especialidade de Psiquiatria da Ordem dos Médicos chegou à mesma conclusão.

Imagino como não terá ficado o ultra-reaccionário Pedro Nunes. Afinal, foi a sua própria instituição, que tem estado sempre na vanguarda na manutenção do atraso (questão do aborto, eutanásia, etc.) que vem quebrar mais um preconceito.

Não nos podemos é esquecer de que não sendo a homossexualidade uma doença, gera, infelizmente, na nossa sociedade, doenças. Depressões, ansiedade crónica, fobia social, insatisfação sexual são enfermidades de que padecem inúmeros gays e lésbicas no nosso país.

A taxa de suicídio em adolescentes LGBT's é cerca de três vezes superior à dos adolescentes heterossexuais. Lembremo-nos, então, de que ainda há muito a fazer.

Notícia: Público, i, TVI24.

4 comentários:

  1. não compare a aceitação do aborto à desmistificação da homessexualidade. pela liberdade e o respeito da pessoa de cada um, tudo.

    ResponderEliminar
  2. Apenas as comparei no sentido de serem questões de progresso social às quais a OM sempre se opôs.

    E, mesmo assim, penso que dizem as duas directamente respeito à liberdade e respeito da pessoa de cada um...

    ResponderEliminar
  3. ou de um outro. mas isso era pano para mangas e desviar-nos-ia do tema :) parabéns pelo blog !

    ResponderEliminar
  4. Obrigado.= ) Obrigado pela visita ; )

    ResponderEliminar