quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Avaliação: o bicho-papão.



Ontem, sindicatos dos professores e Ministério da Educação não conseguiram chegar a acordo. As "negociações" prosseguem em 2010.

Perante isto, apetece-me citar José Leite Pereira ("Jornal de Notícias", 30-12-2009):

"A luta dos professores vai regressar, a menos que o Governo recue uns anos e a avaliação seja bem diferente do que está a ser proposto agora, ficando tão inútil como era então".

Terá Razão?

1 comentário:

  1. Porque razão não hão-de os professores ser avaliados? Acaso são uma casta diferente do comum dos cidadãos? Porque é que todos hão-de atingir o topo da carreira? Não haverão bons professores e professores? Em todas as outras actividades existe avaliação e são poucos muito poucos os que atingem o topo da carreira. Aliás a proporção deve rondar em 1000 individuos 1 atinge o topo. Se o governo, com a oposição que não quer ver a realidade ceder, então muitos outros funcionários e agentes do Estado se revoltarão exigindo tratamento igual. Agora que uma grande maioria dos professores estão mal preparados e não tem qualificações e capacidades para estar a leccionar é uma realidade que todos conhecemos...

    ResponderEliminar