sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Sócrates, o medroso.



Hoje, aparece o nosso primeiro-ministro numa nova pele: O "Sócrates medroso". O Sócrates da maioria absoluta era o "arrogante", o "ignorante", "aquele que não ouvia ninguém". Durante a campanha eleitoral e perante a mais que certa perda da maioria absoluta apareceu "Sócrates, o ouvinte" e o "humilde".

Na questão da avaliação dos professores, e com uma ministra que vai representar "o polícia bom", Sócrates decidiu "aprovar" o projecto do PSD, sem ter a coragem de dar a cara por uma solução. Que melhor estratégia existe do que sacudir os problemas para os outros? Se não conseguia enfrentar os professores e aplicar algum sistema avaliativo, o melhor é deixar que os outros resolvam a questão.

Manuela Ferreira Leite, naquela total falta de estratégia política que a caracteriza, cai numa armadilha gigantesca. Se a coisa funcionar, os louros são para o PS, se correr mal, a culpa é dela e do seu PSD. Mas, também, quem e que ainda não acredita que MFL tem uma estratégia deliberada para afundar o seu partido?

1 comentário:

  1. Mais incrível é, na minha opinião, o PSD deixar cair uma das suas bandeiras de campanha: suspensão imediata da avaliação.

    Estava lá no programa com todas as letras.

    ResponderEliminar