sexta-feira, 27 de novembro de 2009

A inacreditável hipocrisia de quem é rico.



Sarkozy e Brown, na última cimeira da Commomweath ( e, neste momento, nem me vou pronunciar sobre os amplos significados que têm a participação de um Presidente Francês na cimeira da comunidade britânica, mas fica a certeza de que Tatcher, Churchill e De Gaulle estarão dando voltas no túmulo) avançaram a ideia, já amplamente repetida por tudo quanto são representantes dos "países ricos", de que é necessário avançar com ajudas financeiras para que os países em desenvolvimento possam tornar as suas economias mais limpas.

Enfim, os países ricos foram, e continuam a ser, os principais responsáveis pelo "estado a que isto chegou" ao nível da poluição e alterações climáticas. Pretendem, agora, que os países em desenvolvimento se desenvolvam menos para preservarmos o nosso ambiente. O cinismo norte-americano é, nesta matéria, gigantesco. São, de longe, os maiores poluidores do globo, não ratificaram o Protocolo de Quioto, mas pretendem "ajudar" os países pobres a poluirem menos.

Sabe-se que o montante das ajudas que as nações mais desenvolvidas pretendem atribuir é, claramente, insuficiente para suprir as necessidades dos "países pobres" para a adequação das economias. Perante isto, como podem Sarkozy e Brown continuar a alardear as suas iniciativas "imensamente generosas" se o montante que estão dispostos a despender não chega, sequer, a 10% do necessário?

Sem comentários:

Enviar um comentário