quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Mais um final...


Todos os finais são, por natureza, tristes... Não têm, contudo, de ser violentos, explosivos, avassaladores... No fundo, tudo terminou como tinha começado: com calma, sem histerias, talvez, até, com alguma falta de entusiasmo...Não significa que não existisse sentimento e que não fosse profundo, eventualmente. Apenas e só não era daqueles capazes de destruir com estampido...
Não verti, ainda, uma única lágrima...Lembro-me de outro final em que o fiz durante todo um dia...e sempre que te telefonava...Era o choro da culpa, do não ter investido o que devia, do retirar mais do que se entrega...Noutro, houve a vitória, um certo sabor a vingança, a estupidez de criar a rejeição...Neste, talvez o primeiro sentimento tenha sido a surpresa...Como estava longe, distante, para não ter dado por nada..Acho que o rompimento terá surgido com um quê de naturalidade, de aceitação pré-estabelecida...
Tento não pensar no futuro, no que acontecerá...Pela primeira vez saio sem saber para onde vou, o que quero...Abandono livre, por uma primeira vez, sem nada pré-determinado, sem desejos por outrem, sem necessidades a preencher. Procuro esquecer aquilo que investi e que agora se perdeu, afinal, 6 meses não é assim tanto tempo...Acho que, no fundo, ficarão algumas boas recordações, alguns momentos especiais. Sobretudo o início, quando tudo era ainda vago e, por isso, mais liberto, foi interessante, foi particularmente agradável. Deixámos que se corroesse por falta de empenho, penso eu...
Enfim, de nada vale carpir as mágoas no isolamento e na depressão. Saio sem culpas, sem erros graves a lamentar, sem traições, sem lamúrias...Sem tristeza? Mais outro sinal da distância...?

Sem comentários:

Enviar um comentário