quarta-feira, 29 de julho de 2009

Ruas do Pensamento

São intrincadas as ruas do meu pensamento. As mais das vezes, tortuosas, acidentadas, agrestes, conducentes a coisas brilhantes, mas, na maior parte dos casos, a coisas, simplesmente tontas…Por vezes, formam amplas avenidas que conduzem ao irracional, ao especulativo desesperante. Porquê assim? O bom nunca vem numa rua fácil de trilhar, numa rua larga e com árvores, com recantos de descansos, com descidas suaves....Para mim, será sempre o difícil, muitas vezes o inalcançável....A rua que perscrutamos, com minúcia, mas sabemos não poder subir....

O clichê literário perseguiu-me sempre, por mais que tente, saiem-me sempre aquelas mesmas coisas, sensaboronas, bem escritas até, mas pouco motivadoras, lê-se, mas não se gosta....Daí que vá dizer que as minhas poderiam ser chamadas as ruas da amargura...Até porque prefiro assim, no fundo é mais cómodo ser infeliz...


(4h41 da manhã....fico-me por aqui....)

Sem comentários:

Enviar um comentário