sábado, 1 de agosto de 2009

Nevoeiro

São 6h52 da manhã, o nevoeiro cobre toda a vista da minha janela, não posso, sequer, ver o mar...Novamente, depois de uma saída relativamente decadente (não começam a ser todas para esses sítios...?), estou sem dormir. Pensamentos atribulam-me a mente...Sinto, muito mais do que imaginas, a tua falta. A ti, só gostava que me pudesses compreender. Queria esquecer-te. Perdoa-me, sou assim, sou, finalmente, quase livre...Como pude aguentar tanto por tanto tempo? Tempo perdido, sem dúvida...A ansiedade começa a dominar...."É combatê-la!", mas como? Como recuperar o que não se chegou a ter, como ganhar maturidade sem ter tempo? É possível sustentar tanta mudança...?

Sem comentários:

Enviar um comentário