quarta-feira, 29 de julho de 2009

Linhas perdidas

Por que me fazes ainda tão mal? Como posso não ter esquecido? Se foi tudo tão fugaz, tão passageiro? Se calhar é mesmo por isso..não agarrei nada, por isso nada tenho para esquecer.
És o meu erro de percurso, o meu desvio de um já mau caminho, uma fuga na minha existência...
Por que me preocupo ainda contigo? E distanciar-me do quê, se sempre houve apenas distância? Foi um limbo...e para mim continua a ser...Indago-me se pensas em mim...Pensarás, ainda? Alguma vez pensaste?
Transportamos sempre as feridas do passado para os presentes, mas onde posso abandonar um sofrimento que nunca existiu realmente? Como curar uma ferida que nunca chegou a ser aberta?

(Já são linhas a mais contigo.....)

Sem comentários:

Enviar um comentário